Como plantar hortelã

Menta ou hortelã
Menta ou hortelã - imagem original: Tzuhsun Hsu - Licença Creative Commons

Há várias espécies de menta ou hortelã no gênero Mentha, e não existe consenso entre os botânicos sobre o número de espécies existentes e o nome atribuído a estas. Aumentando a dificuldade de estabelecer uma classificação, as espécies intercruzam com facilidade, produzindo diversas plantas híbridas.

As espécies mais comuns são:

Hortelã-das-hortas ou hortelã-comum
Hortelã-comum ou hortelã-das-hortas (Mentha spicata) - imagem original: miluz - Licença Creative Commons

Mentha spicata - chamada de hortelã-comum, hortelã-das-hortas, hortelã-verde ou simplesmente hortelã. A planta atinge de 30 a 100 cm e tem flores brancas ou rosadas. Existem muitas cultivares desta espécie, que apresentam uma boa variabilidade nas características de suas folhas. É muito usada como condimento, como aromatizante, como chá e no preparo de outras bebidas. Também é utilizada para fins medicinais.

Hortelã-da-água
Hortelã-da-água (Mentha aquatica) - imagem original: nociveglia - Licença Creative Commons

Mentha aquatica - chamada de menta-aquática, hortelã-dos-ribeiros ou hortelã-da-água. Como o nome indica, cresce naturalmente na beira de cursos de água, lagos, poças, brejos, etc. Atinge normalmente cerca de 90 cm, embora possa chegar a 1,5 m de altura. Suas flores são pequenas, rosadas ou lilases, e ficam densamente agrupadas. É usada geralmente para fins medicinais.

Hortelã-pimenta
Hortelã-pimenta (Mentha x piperita) - imagem original: nociveglia - Licença Creative Commons

Mentha x piperita - chamada de hortelã-pimenta, algumas de suas cultivares têm nomes populares exclusivos como, por exemplo, hortelã-chocolate para Mentha x piperita 'Chocolate Mint' e hortelã-limão para Mentha x piperita 'Citrata'. A hortelã-pimenta é considerada atualmente um híbrido resultante do cruzamento entre Mentha aquatica e Mentha spicata. Cresce de 30 cm a 1 m, suas folhas são geralmente verde-escuras e suas flores são rosadas ou púrpuras. É usada como condimento, aromatizante, como chá e no preparo de outras bebidas. Também é muito usada para fins medicinais e para a obtenção de óleos essenciais, principalmente de mentol.

Hortelã-doce ou hortelã-japonesa
Hortelã-doce ou hortelã-japonesa (Mentha arvensis) - imagem original: Matt Lavin - Licença Creative Commons

Mentha arvensis - conhecida como hortelã-brava, hortelã-doce e hortelã-japonesa, entre vários outros nomes, incluindo hortelã-pimenta para aumentar a confusão de nomes dados para as espécies de menta. Atinge de 10 a 60 cm de altura, podendo até chegar a 1 m. Há várias subespécies desta planta. Suas flores são brancas, rosadas ou lilases, e ficam junto ao caule, logo acima das folhas. É usada para fins medicinais e como condimento, e é a principal espécie usada para a obtenção do óleo essencial mentol.

Poejo
Poejo (Mentha pulegium) - imagem original: Isaac Wedin - Licença Creative Commons

Mentha pulegium - conhecida como poejo. Atinge até 50 cm de altura, crescendo em locais úmidos ou encharcados, e na beira de cursos de água. Suas folhas são pequenas e suas flores rosadas surgem junto ao caule, logo acima das folhas. É usada como planta medicinal, condimento, aromatizante, como chá e no preparo de outras bebidas. Também é utilizada para repelir insetos (o nome pulegium veio de seu uso como repelente de pulgas antes do surgimento dos inseticidas modernos).

Hortelã-maçã
Hortelã-maçã (Mentha suaveolens) - imagem original: Catherine Dougherty - Licença Creative Commons

Mentha suaveolens - conhecida como hortelã-maçã, é também chamada de hortelã-brava. Atinge de 40 cm a 1 m de altura, suas flores são brancas, rosadas ou lilases. É utilizada para fins medicinais, condimento, aromatizante e como planta ornamental (esta espécie possui cultivares com folhas variegadas, muito apreciadas como plantas de jardim).

Hortelã-da-ribeira
Hortelã-da-ribeira (Mentha cervina) - imagem original: Daniel Feliciano - Licença Creative Commons

Mentha cervina - conhecida como hortelã-da-ribeira. Atinge até 30 cm de altura, tem folhas estreitas verde-escuras e flores brancas que surgem junto ao caule. É usada para fins medicinais e como condimento.

Hortelã-silvestre
Hortelã-silvestre (Mentha longifolia) - imagem original: Mr. Tonreg - Licença Creative Commons

Mentha longifolia - conhecida como menta-silvestre. Atinge de 40 cm a 1,2 m, tem folhas compridas e relativamente estreitas. Suas flores podem ser roxas, brancas ou lilases. É utilizada para fins medicinais e muito raramente como condimento.

Existem algumas outras espécies e vários outros híbridos de mentas. Distinguir as mentas ou hortelãs é geralmente uma tarefa difícil, dada a variabilidade e as semelhanças encontradas nas espécies, subespécies e cultivares, não existindo atualmente consenso nem mesmo entre os especialistas.

Hortelã-chocolate
Hortelã-chocolate - imagem original: Brian Boucheron - Licença Creative Commons

Clima

As várias espécies de menta ou hortelã são plantas de clima temperado ou ameno, que suportam bem baixas temperaturas, mas não o congelamento total do solo. Algumas espécies toleram altas temperaturas, como por exemplo a espécie Mentha arvensis.

Uma recomendação é que o local de cultivo deve ser bem protegido do vento, pois este pode prejudicar as plantas.

Luminosidade

A hortelã ou menta pode ser cultivada em lugares ensolarados ou em sombra parcial com alta luminosidade.

Solo

Cultive a hortelã de preferência em solo fértil e rico em matéria orgânica.

Irrigação

Irrigue de forma a manter o solo sempre úmido. O ideal é que o solo nunca seque durante o ciclo de crescimento das plantas.

Algumas espécies estão adaptadas a crescer em solos encharcados. Por exemplo, a hortelã-da-água (M. aquatica), o poejo (M. pulegium), a hortelã-da-ribeira (M. cervina) e podem ser cultivadas em solo bem úmido ou encharcado, ou ainda na beira de corpos de água, como lagos, ribeirões, etc.

Plantio

O plantio é geralmente realizado através de rizomas ou de ramos retirados de plantas bem desenvolvidas, saudáveis e de boas características, com duas ou três gemas em cada pedaço de rizoma. Estes podem ser plantados diretamente no local definitivo ou em canteiros, sendo as mudas depois transplantadas quando atingem de 10 a 15 cm de altura.

O espaçamento recomendado entre as plantas varia conforme a espécie e a cultivar sendo plantada, mas geralmente um espaçamento de 30 a 40 cm entre as plantas é considerado adequado.

O plantio por sementes é possível, mas é desaconselhado, a não ser para quem está querendo obter novas cultivares ou híbridos, ou para quem não tem como obter mudas. Como as plantas intercruzam facilmente e a variabilidade fenotípica é grande mesmo entre plantas da mesma espécie, é difícil garantir que as plantas originadas por sementes tenham as características da cultivar ou da espécie das plantas mãe. Além disso, nem todas as mentas produzem sementes facilmente.

Tratos culturais

Retire plantas invasoras que estejam concorrendo por nutrientes e recursos.

É necessário algum cuidado no plantio de hortelã ou menta, pois a maioria das espécies é invasiva, podendo se espalhar rapidamente. A plantação deve ser mantida sobre controle, cortando as plantas para impedir que se espalhem para fora da área destinada ao seu plantio. Em hortas domésticas, é mais conveniente cultivar a hortelã em vasos, jardineiras e outros recipientes, para restringir mais facilmente o seu crescimento e impedir que se espalhe e invada o espaço destinado a outras plantas.

Colheita

A colheita pode ser feita a partir do momento em que as plantas se encontram bem desenvolvidas. O melhor momento para colher é quando as plantas estão florescendo, pois neste período seu sabor e aroma são mais intensos, uma vez que a concentração de seus óleos essenciais se torna máxima. Corte as hastes acima do primeiro ou segundo par de folhas ou colha apenas as folhas necessárias. É possível fazer a colheita de todas as hastes três vezes por ano, por quatro a seis anos sem necessidade de replantio.

Apesar de seu uso ser muito comum, o poejo contém uma alta concentração do óleo essencial pulegona, que é muito tóxico, de forma que seu uso deve ser restrito. Outras mentas também podem conter pulegona, mas em menor concentração.

Mulheres grávidas devem evitar totalmente o consumo de poejo e de todas as outras hortelãs.