Como plantar pimenta

Pimentas
Pimentas - imagem original: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo - Licença Creative Commons

Há mais de vinte espécies de pimentas no gênero Capsicum, mas apenas cinco espécies são normalmente cultivadas. Seus frutos de sabor picante são muito apreciados na culinária de várias regiões do mundo, mas nem todas as cultivares produzem as substâncias que geram a sensação de ardência ou as produzem em quantidade suficiente para deixar o fruto picante. Os cultivares destas espécies cujos frutos não são picantes, são conhecidos como pimentas doces, que apesar do nome, não têm necessariamente um sabor adocicado, apenas não têm um sabor picante. Os pimentões ou pimentos são pimentas doces de um grupo de cultivares de uma destas espécies de pimenta. A pimenta também é muito usada para fins medicinais e há muitas cultivares de pimenta que são cultivadas como plantas ornamentais.

Pimenta-de-Caiena
Pimenta-de-Caiena - imagem original: J. Chris Vaughan - Licença Creative Commons

A capsaicina e algumas outras substâncias relacionadas denominadas capsaicinoides são as responsáveis pela ardência destas pimentas. Estas substâncias, que estão presentes apenas nos frutos e não estão presentes dentro das sementes, ativam sensores nervosos sensíveis ao calor e a abrasão, daí surgindo a sensação de ardência, sem provocar qualquer real queimadura no corpo. Em quantidades moderadas, sua ingestão pode levar a uma sensação de bem-estar, graças às endorfinas produzidas pelo sistema nervoso central como resposta ao estímulo gerado pela presença destas substâncias. Mas a pimenta também pode facilmente produzir sensações muito desagradáveis, tanto quando ingeridas quanto quando manuseadas. Beber leite ou lavar o local com leite é uma maneira efetiva de aliviar a ardência exagerada. Ingeridas em quantidade, as pimentas podem provocar problemas de saúde, como náuseas, dor abdominal e diarreia.

A concentração de capsaicina e outros capsaicinoides no fruto é um dos fatores que determina sua ardência. Outro fator é quais destas substâncias estão presentes no fruto. Cada uma destas substâncias provoca um efeito e uma sensação de ardência ligeiramente diferentes (há 14 alcaloides capsaicinoides conhecidos, incluindo a capsaicina, que é a mais comum). Assim as cultivares de pimenta podem ser mais ou menos picantes, e mesmo pimentas diferentes que estão na mesma escala de ardência podem produzir sensações diferentes, dependendo de quais destes alcaloides estão presentes e quais suas respectivas concentrações.

Pimenta-murupi
Pimenta-murupi - imagem original: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo - Licença Creative Commons

Uma graduação de ardência das pimentas é dada pela escala de Scoville. Primeiramente era uma escala subjetiva, onde determinada quantidade de extrato de alguma pimenta era diluída em quantidades cada vez maiores de água e açúcar até que algumas pessoas não pudessem mais detectar a ardência da solução. A quantidade de água necessária até que a solução não fosse mais descrita como picante pelos provadores dava a quantidade de unidades de scoville da cultivar de pimenta testada. Por exemplo, se o extrato precisasse ser diluído em 10.000 partes de água, a pimenta em questão era dita ter um “grau de calor” ou uma ardência de 10.000 unidades de calor de scoville. Atualmente é utilizada a cromatografia líquida de alta eficiência para a determinação das concentrações de capsaicinoides presentes nos extratos das pimentas e a graduação é dada pelas unidades de pungência da American Spice Trade Association (ASTA), embora estas possam ser convertidas para as unidades de calor de scoville (1 unidade de pungência da ASTA multiplicada por 15 é uma unidade de calor de scoville).

Uma importante observação a ser feita sobre qualquer escala de ardência de pimentas é que os valores apresentados para cada cultivar são valores médios obtidos a partir de algumas amostras. Fatores ambientais e de cultivo influenciam a quantidade de capsaicinoides presentes nos frutos, de forma que o real grau de ardência de uma nova amostra de pimenta pode ser tanto maior quanto menor que o valor encontrado nas tabelas para aquela determinada cultivar.

Pimenta habanero
Pimenta habanero - imagem original: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo - Licença Creative Commons

Espécies mais cultivadas de pimenta

Capsicum annuum - Esta é a espécie de pimenta mais cultivada no mundo. Suas flores são brancas (algumas poucas cultivares têm flores roxas) e há apenas uma flor por nó. Os pimentões ou pimentos são um grupo de cultivares desta espécie que não produzem capsaicinoides nos frutos. Há um grande número de cultivares desta espécie, e alguns dos grupos mais famosos são, além dos pimentões ou pimentos, a pimenta-de-caiena, a jalapenho ou jalapeño, a pimenta-banana, a pimenta-thai, a ancho, a chiltepin, a guajillo, a cascabel, a shishito ou pimenta-japonesa, a peperoncino ou peperoncini, a Peter pepper, a serrano e a mulato.

Capsicum baccatum - Uma característica que distingui esta espécie facilmente das outras é que suas flores são brancas, mas as pétalas têm manchas amareladas ou esverdeadas. Inclui entre outras, a pimenta-dedo-de-moça, a pimenta-cumari, a pimenta-cambuci ou pimenta-chapéu-de-bispo, a pimenta-pitanga e a Lemon drop.

Capsicum chinense - apesar do nome científico, também é nativa do continente americano (originária da Bacia Amazônica). Os frutos normalmente têm um aroma característico, há duas ou mais flores brancas por nó, sendo que as anteras das flores são roxas. São desta espécie as pimentas mais picantes conhecidas. Inclui a pimenta-murupi, a pimenta-de-cheiro, a pimenta-de-bode, a pimenta-biquinho e as pimentas Habanero, Bhut Jolokia, Carolina Reaper, Trinidad Scorpion, Scotch bonnet e Fatalii.

Capsicum frutescens - Os frutos desta espécie crescem tipicamente eretos (porém há pimenteiras de outras espécies que também têm frutos que não são pendentes, crescendo eretos). Há duas ou mais flores por nó e as flores são branco-esverdeadas ou amarelo-esverdeadas, com anteras roxas ou azuladas. Inclui a pimenta-malagueta e a tabasco.

Capsicum pubescens – é a espécie mais diferente, as folhas são pubescentes (têm pelos) e suas sementes são escuras. Suas flores são roxas. É considerada uma pimenta mais difícil de cultivar. Inclui as pimentas Rocoto e Manzano.

Algumas outras espécies de pimenta são por vezes cultivadas também, mas este cultivo é geralmente restrito a alguns poucos locais do continente americano onde estas plantas são nativas.

Pimenta-jalapeño
Pimenta-jalapenho ou pimenta-jalapeño - imagem original: Glenn - Licença Creative Commons

Clima

A faixa de temperaturas que vai de 16°C a 35°C é adequada para a maioria das espécies e cultivares. A maioria destas pimenteiras são plantas tropicais ou subtropicais e crescem melhor em clima quente, mas as pimenteiras da espécie Capsicum pubescens e algumas cultivares de outras espécies que são adaptadas a regiões de clima mais ameno, crescem melhor em temperaturas abaixo de 26°C. Nenhuma destas plantas pode suportar geadas e longos períodos de baixas temperaturas.

Luminosidade

A pimenteira cresce melhor em condições de alta luminosidade, com sol direto. Em locais muito quentes pode ser benéfico prover sombra parcial nas horas mais quentes do dia.

Pimenta-dedo-de-moça
Pimenta-dedo-de-moça - imagem original: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo - Licença Creative Commons

Solo

O ideal é que o solo seja leve, bem drenado, fértil e rico em matéria orgânica. Quanto ao pH do solo, as pimenteiras geralmente toleram um pH entre 4,5 e 8, mas o ideal é um pH entre 5,5 e 7.

Irrigação

A pimenteira deve ser irrigada com frequência para manter o solo úmido, mas este nunca deve permanecer encharcado.

Mudas de pimenta
Mudas de pimenta - imagem original: Candy Tale - Licença Creative Commons

Plantio

As sementes de pimenta podem ser semeadas diretamente no local definitivo, mas o mais comum é semear em sementeiras, copos ou saquinhos de plástico ou papel. As sementes devem ficar a aproximadamente 0,5 cm de profundidade no solo. As sementes também podem ser colocadas sobre papel mata-borrão ou outro papel absorvente, mantido sempre umedecido e em local aquecido, até a germinação, quando são então transferidas com cuidado para o solo e cobertas com uma leve camada de terra solta. No solo as sementes germinam geralmente em 1 ou 2 semanas com temperaturas por volta de 28°C a 30°C, mas as sementes podem apresentar dormência e podem levar um longo tempo para germinar, especialmente se a temperatura estiver amena (menor que 20°C). O transplante para o local definitivo é feito quando as mudas atingem de 8 a 10 cm de altura.

O espaçamento recomendado varia com o porte da pimenteira e com as condições de cultivo. Geralmente o espaçamento adequado se encontra entre 20 cm e 60 cm entre as plantas, com linhas de cultivo espaçadas de 60 cm a 120 cm.

A pimenta pode ser cultivada facilmente em vasos, mas estes devem ter um tamanho apropriado ao porte da pimenteira que será cultivada.

Tratos culturais

Retire as ervas invasoras que estiverem concorrendo por recursos e nutrientes.

Algumas cultivares precisam de tutoramento para as plantas não tombarem. Neste caso, amarre as plantas a estacas de madeira, mas sem restringir o crescimento dos caules.

Quando colhendo ou manuseando os frutos das cultivares que são picantes, é muito importante usar luvas. Se pimentas picantes forem manuseadas sem luvas, não toque nos olhos, nariz, boca ou outras partes do corpo sem antes limpar muito bem as mãos. Água não é eficiente para retirar a capsaicina da pele, pois esta substância não é solúvel em água. Contudo, é solúvel em álcool e em óleo.

Pimenta-biquinho
Pimenta-de-bico ou pimenta-biquinho - imagem original: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo - Licença Creative Commons

Colheita

A colheita das pimentas inicia-se geralmente de 80 a 150 dias após a semeadura, dependendo da cultivar e das condições de cultivo. Os frutos podem ser colhidos verdes ou maduros.

A pimenteira é uma planta cultivada geralmente como anual, mas é uma perene de vida curta e em condições adequadas pode produzir bem por alguns anos.